sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Avenida do Mar - Agosto de 2015


A cidade do Funchal continua bela.



Com o temporal devastador do dia 20 de Fevereiro de 2010 a Avenida do Mar foi invadida por pedras, árvores, carros e entulho de toda a espécie que a chuva torrencial trouxe das escarpas (muito íngremes) do maciço montanhoso envolvente à cidade. 

Foram momentos dramáticos.


O funchalense arregaçou mangas e com estoicismo tem vindo a recuperar toda a baixa da cidade.

Do entulho, nasceu um espaço de lazer!

Interessante este arranjo com formas cúbicas que permite utiliza-lo como bancada durante o fogo de artifício lançado habitualmente na baía do Funchal.




quinta-feira, 11 de junho de 2015

Outros Tempos

Ilha da Madeira
Memórias
Fortaleza de São Tiago

Capela do Corpo Santo

Rua de Funchal antigo

Transporte antigo - Carro trenó de vime e madeira

Rua de Funchal antigo

Vendedor de bananas no mercado de peixe

Capela de S. Luis de Tolosa - Museu d Arte Sacra

Pesca da Baleia - Caniçal

Engenho de Açucar - Porto da Cruz
Forma do "Pão-de-Açucar"
Fornos do Engennho de Açucar

Casa Típica de Santana

Borracheiros

Casa das Queimadas

terça-feira, 12 de maio de 2015

De Paul do Mar para Fajã de Ovelha

Ilha da Madeira - 2014

PAUL DO MAR
















No vivo Mar Salgado concebida,
Entre remotas ondas balouçando,
E num manto de lendas repousando
Persiste oculta a Ilha Adormecida.

de "ilha dos Amores" - autor: Vasco da Gama Rodrigues (1909/1991)










































Por estrada sinuosa, a caminho de FAJÃ de OVELHA...
Um mar imenso contrasta com a escarpa altaneira onde o serpentear da estrada a vence e...  Que mirantes magníficos nos oferece!..





















































Entretanto o fim do dia chega... 
Um Mar imenso prateado e um Pôr de Sol que nos seduz..



















domingo, 5 de abril de 2015

"Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim"

Ilha da Madeira - Agosto 2014





















Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.

Que momentos há em que suponho
Seres um milagre criado só para mim.

 De: Sophia de Mello Breyner






TRITÃO - Pai da Pequena Sereia


INVOCAÇÃO